A Câmara Municipal do Funchal firmou, esta semana, com o TEF – Associação Teatro Experimental do Funchal, o protocolo de atribuição de apoios financeiros ao associativismo cultural e a atividades culturais de interesse municipal, no valor de 6 mil euros. No ato da assinatura estiveram o Presidente da CMF, Miguel Silva Gouveia, o Diretor do TEF, Eduardo Luíz, e Ester Vieira.

Miguel Silva Gouveia realçou que “esta é mais uma forma de reiterar o compromisso deste Executivo de apoiar as associações do nosso concelho e todos os seus profissionais, e de garantir, igualmente, que as produções culturais na nossa cidade continuam a  ser uma realidade e a chegar a todos os funchalenses.”

O apoio visa auxiliar a atividade do TEF, nomeadamente a realização do espetáculo de teatro inclusivo “Memória”. “São apoios atribuídos mediante candidaturas efetuadas pelos agentes e entidades culturais do concelho para a realização de projetos específicos, de acordo com um regulamento desenvolvido por este Executivo camarário e que está em vigor há vários anos.”

O Presidente concluiu que “numa política de proximidade, continuamos a fazer o nosso melhor para responder às necessidades e aos desafios que o sector cultural tem enfrentado neste ano difícil para todos nós. A CMF nunca baixou, nem baixará os braços, na defesa e apoio às associações, aos artistas regionais, e a todos aqueles que lutam para fazer a diferença na vida cultural da nossa cidade.”

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, assinou, esta tarde, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o protocolo de atribuição de apoio financeiro à Associação Recreio Musical União da Mocidade, no valor de 10.500 euros.

O Recreio União da Mocidade é o berço da afamada Orquestra de Bandolins da Madeira, a mais antiga da Europa, e Medalha de Ouro do Município. Miguel Silva Gouveia salientou “a importância de acarinharmos as nossas tradições”, e considerou que “ao longo dos 108 de história, além de oferecer emoções, o Recreio tem contribuído para a preservação da arte dos bandolins e unido as pessoas em torno de uma linguagem comum que é a música.”

Este apoio decorre ao abrigo do Programa de Atribuição de Apoio Financeiro ao Associativismo e a Atividades de Interesse Municipal, tendo o autarca enaltecido a aposta do Executivo camarário na Cultura ao longo dos últimos anos e, particularmente, durante este período de pandemia.

O Presidente concluiu que “o Recreio tem sabido viajar pelo tempo, enfrentando diferentes desafios e conseguindo sempre ultrapassá-los com qualidade e muita dedicação. Este projeto de excelência, composto maioritariamente por jovens, tem o selo do Funchal, e em muito dignifica a nossa cidade no país e nos quatro cantos do mundo.”

A Câmara Municipal do Funchal atribuiu à Abraço – Associação de Apoio a Pessoas com VIH/SIDA, um apoio anual de 15 mil euros, de acordo com o plano de atividades de cariz social que será concretizado pela associação ao longo de 2021. O Presidente Miguel Silva Gouveia e o Vereador Rúben Abreu visitaram as instalações da Associação, onde foram recebidos por Cristina Gouveia, coordenadora da Delegação da Madeira.

Miguel Silva Gouveia referiu que “a Associação Abraço desenvolve um trabalho valoroso no sentido de atenuar os efeitos das crónicas, neste caso específico do HIV/SIDA. Infelizmente, parece que neste momento só existe uma pandemia, a da COVID-19, mas não podemos esquecer que existem outras doenças,  também consideradas pandemia pela Organização Mundial de Saúde, como é este o caso, e que é importante manter o apoio aos infetados e continuar a promover o esclarecimento às populações sobre as práticas preventivas.”

O edil funchalense acrescentou que o trabalho desenvolvido pela Abraço “representa um valor acrescentado para as pessoas que têm de viver com o vírus, oferecendo o acompanhamento necessário, tanto a nível do tratamento que felizmente já existe, mas também a nível psicológico e pedagógico.”

“A Câmara Municipal do Funchal  reconhece o papel fundamental que a Abraço tem na vida destas pessoas e das suas famílias, e para além deste apoio financeiro, vai procurar perceber de que formas o Município pode aprofundar, conjuntamente com a Associação, este objetivo de divulgar informação sobre este vírus que persiste desde 1980, auxiliar aqueles que eventualmente possam ficar infetados, e também procurar quebrar o preconceito que ainda existe em relação aos portadores de HIV/SIDA.”

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, firmou, durante a tarde de hoje, no âmbito dos apoios ao associativismo cultural e a atividades de interesse municipal, o protocolo entre a Autarquia e a Banda Municipal do Funchal. O apoio financeiro concedido ascende a 9 mil euros e é direcionado para a aquisição e reparação de instrumentos.

A Banda Municipal do Funchal – Artistas Funchalenses, esteve representada na ocasião pela sua Presidente, Ester Caldeira. Miguel Silva Gouveia referiu que “a Câmara Municipal do Funchal apoia novamente este ano a Banda Municipal, pois reconhece a importância de continuar a acarinhar as tradições do concelho, valorizando as associações que têm um inegável valor sociocultural para a cidade do Funchal.”

O autarca recordou que em  1912 a Banda foi distinguida com o título de Banda Municipal do Funchal, precisamente pelos serviços prestados à Autarquia e, acrescentou que, “até os dias de hoje, este coletivo continua com o seu papel pedagógico, com a sua missão de divulgar o património musical da cidade e da Região, e isso é para todos nós motivo de muito orgulho”.

O Presidente finalizou manifestando a predisposição da Autarquia em “continuar a apoiar a mais antiga banda filarmónica da Região, que se dedica a transmitir saber às novas gerações, perpetuando a cultura musical madeirense.”

A Câmara Municipal do Funchal e a Fundação Cecília Zino assinaram, esta semana, um protocolo com vista ao apoio da Autarquia à realização de um projeto interdisciplinar, pedagógico e expositivo, comissionado pela artista madeirense Sonya Câmara, e inspirado no trabalho da consagrada artista plástica Lourdes Castro. O apoio ascende a 24.800 euros e representa o maior subsídio público de sempre recebido pela Fundação.

O Presidente da CMF, Miguel Silva Gouveia, e o Presidente do Conselho de Administração da Fundação, Michael Paul Zino, assinaram o respetivo protocolo de apoio financeiro e colaboração, dando início ao projeto chamado “O Sol Marca a Sombra”, que integra a programação da candidatura do Funchal a Capital Europeia da Cultura em 2027.

Miguel Silva Gouveia destaca, desde logo, “a importância da realização deste tipo de parcerias virtuosas com os agentes locais, porque só com o contributo de todos a candidatura do Funchal a Capital Europeia da Cultura poderá sair vencedora e cumprir todo o seu potencial. Agradeço, por isso, a visão, o engenho e o desafio lançado pela Fundação Zino no sentido de concretizarmos este projeto, que inclui residências artísticas, oficinas com crianças e jovens, a construção de um novo herbário e uma exposição a ser inaugurada no renovado Museu de História Natural do Funchal.”

O apoio da Autarquia insere-se nos apoios anuais ao Associativismo e a Atividades de Interesse Municipal, “e terá, como se constata, um impacto a toda a linha, da cultura à ciência, do património material ao enorme património humano que são as nossas crianças e jovens”. Miguel Silva Gouveia reforça que “este é um projeto dirigido especialmente a menores institucionalizados ou de risco, promovendo a sua autonomia e desenvolvimento através das artes. É uma iniciativa através da qual queremos demonstrar a inegável importância da prática artística como elemento vital à evolução individual, à sua formação e às relações pedagógicas, sociais e psicológicas.”

Com “O Sol Marca a Sombra”, a Câmara Municipal do Funchal e a Fundação Zino procuram, igualmente, estimular um sentido cívico sobre a natureza, dar a conhecer a obra de uma das maiores artistas madeirenses que, em dezembro do ano passado, recebeu do Estado português, por parte da Ministra da Cultura Graça Fonseca, a Medalha de Mérito Cultural, e sublinhar conceitos de diversidade cultural, natural e humana, que estão subjacentes ao conceito de uma Região como a Madeira.

Miguel Silva Gouveia sublinha, por fim, que “Lourdes de Castro é uma das grandes artistas contemporâneas funchalenses, mas é desconhecida da população em geral e dos jovens, em particular. A ideia, contudo, não foi fazer uma retrospetiva do trabalho da artista, mas antes dá-lo a conhecer, não só pela dimensão artística que queremos sublinhar, mas também pela dimensão psicológica de interpretações que ele possibilita. Estamos certos de que este será mais um projeto emblemático dentro da programação Funchal 2027.”

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, assinou, esta tarde, em São Martinho, o protocolo relativo ao apoio anual da Autarquia à Associação dos Amigos da Arte Inclusiva – Grupo Dançando com a Diferença, representado na ocasião pelo Diretor Artístico, Henrique Amoedo.

No global, a CMF apoiará o grupo em cerca de 30 mil euros. Miguel Silva Gouveia refere que “este apoio da Autarquia visa sustentar toda a atividade anual do Dançando com a Diferença, e a estrutura deste grupo que tem feito efetivamente a diferença, realizando diversas atividades de cariz inclusivo e que com todo o seu trabalho tem alcançado reconhecimento e prestígio a nível nacional e internacional.”

Recorde-se que, além deste apoio ao abrigo do programa de apoios financeiros ao associativismo cultural e a atividades culturais de interesse municipal, a Câmara Municipal do Funchal cede o Ginásio de São Martinho há vários anos para as atividades do grupo Dançando com a Diferença, como também compra diversos espetáculos para apresentação nas temporadas artísticas do Teatro Municipal Baltazar Dias o que constitui, igualmente, uma das fontes de receita do grupo.

O Presidente Miguel Silva Gouveia conclui que “o Município do Funchal tem investido num política de proximidade sólida e constante, pelo que o compromisso é continuar a ouvir as necessidades das associações e de todos os nossos parceiros em prol de uma cidade cada vez mais inclusiva e culturalmente empenhada, diversificada e acessível.”

A Associação dos Amigos da Arte da Arte Inclusiva – Dançando com a Diferença foi criada em maio de 2007, para gerar um estatuto jurídico do projeto Dançando com a Diferença, que já se desenvolvia desde o ano de 2001. O Projeto nasceu com o objetivo de promover e utilizar as diferentes linguagens artísticas como elemento de inclusão social de pessoas com deficiência e outras. As atividades do grupo centram-se no âmbito artístico, educacional, terapêutico e de apoio a processos terapêuticos.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, oficializou, esta manhã, o protocolo entre a Autarquia e a Associação de Bandolins da Madeira, representada na ocasião pelo seu Presidente, Norberto Cruz. O apoio municipal à associação ascende aos 12 mil euros e tem por objetivo apoiar a atividade, nomeadamente a realização do Festival Internacional de Bandolins da Madeira.

Miguel Silva Gouveia realizou uma visita às instalações da associação, acompanhado pelo Vereador Rúben Abreu e pelo Presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, Guido Gomes, e referiu que “o Festival de Bandolins tornou-se uma referência a nível internacional e o Funchal enquanto candidato a Capital Europeia da Cultura em 2027, necessita de continuar a sua aposta neste importantíssimo festival que celebra o bandolim e engrandece a  música com raízes regionais.”

A Câmara Municipal do Funchal tem financiado este evento desde a primeira edição e a atribuição deste apoio decorre ao abrigo do programa de apoios financeiros ao associativismo cultural e a atividades cultural de interesse municipal.

O autarca afirma que “o sector cultural foi e continua a ser dos mais afetados pela pandemia e, nesse sentido, é fundamental que se continue a promover uma politica de maior proximidade com as associações e os agentes culturais da cidade, que nos permita, em conjunto, encontrar soluções para as dificuldades que possam vir a ter no seu quotidiano.”

O Presidente terminou salientando que “este Executivo camarário sempre se pautou na defesa de uma estratégia de apoio sustentado às associações da cidade do Funchal. Estamos sempre disponíveis para apoiar todos aqueles que com o seu trabalho e talento contribuem para a afirmação do Funchal enquanto cidade promotora de experiências, quer para a nossa população, quer para quem nos visita.”

A Associação de Bandolins da Madeira foi constituída a 28 de março de 2000. A principal finalidade foi a de agrupar todas as Tunas e Orquestras de Bandolins da Madeira num projeto comum de desenvolvimento artístico-musical, que contribui-se para a promoção da marca e da imagem cultural do bandolim a nível regional, nacional e também internacional.

A Câmara Municipal do Funchal atribuiu à Associação Cultural Porta 33 um apoio anual de 27 mil euros, de acordo com o plano de atividades de interesse municipal que será concretizado pela associação ao longo de 2021. O Presidente Miguel Silva Gouveia e a Vereadora Dina Letra visitaram esta manhã as instalações da Porta 33, onde foram recebidos por Cecília Vieira de Freitas e Maurício Pestana Reis.

Miguel Silva Gouveia referiu que “o Executivo camarário assumiu um compromisso para com o Funchal, no sentido de manter uma política de proximidade com as associações e de criar condições favoráveis para o desenvolvimento e dinamização de diversos projetos culturais de interesse para a cidade.”

“A Porta 33 conta com mais de 30 anos de atividade, sendo uma das associações culturais mais antigas da cidade do Funchal. Todo o trabalho aqui desenvolvido tornou-se numa ferramenta essencial para o desenvolvimento da comunidade e da cidade, sendo geradora de riqueza para os artistas, para os cidadãos, e para a nossa cultura”, acrescentou o autarca

“É precisamente na ótica de salvaguardar o trabalho singular e todo o percurso notório da Porta 33 como uma das faces da cultura e da arte da nossa Região, que assinamos este protocolo de apoio à atividade. A Câmara Municipal vai continuar a continuar a reafirmar o seu compromisso para com a cultura, mas também para com os artistas e agentes culturais da nossa cidade”, concluiu o Presidente.

A Porta33 – Associação Quebra Costas – Centro de Arte Contemporânea foi fundada em 1989. Esta associação cultural privada, sem fins lucrativos, está sediada no centro do Funchal e é um projeto de produção e divulgação de arte contemporânea. Entre as várias atividades dinamizadas, organiza colóquios sobre o trabalho dos artistas residentes e promove visitas guiadas às exposições em colaboração com a comunidade escolar, mantendo um centro de documentação de cultura contemporânea.

Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, oficializou, esta tarde, na Nazaré, o protocolo entre a Autarquia e a OLHO.te – Associação Artística de Solidariedade Social, representada pelo seu Presidente, Hugo Castro Andrade, no valor de 28 mil euros, e que tem por objetivo apoiar as atividades de cariz social desenvolvidas pela Associação ao longo do ano.

Miguel Silva Gouveia referiu que “num ano particularmente difícil onde a pandemia tem originado grandes distorções sociais, este apoio ao associativismo vêm dar resposta às necessidades atuais desta instituição que tem um papel importantíssimo na nossa comunidade, e que merece ser reconhecida e acarinhada por todo o apoio que disponibiliza aqueles que mais necessitam.”

A cerimónia de assinatura contou, igualmente, com a presença da Vereadora Dina Letra. Este apoio do Município do Funchal surge no âmbito do programa de Atribuição de Apoios Financeiros ao Associativismo e Atividades de Interesse Municipal.

O edil funchalense destacou o trabalho de proximidade que a Associação tem realizado ao longo dos anos com a população do Bairro da Nazaré, um envolvimento que segundo o Presidente “em muito tem contribuído para melhorar a qualidade de vida, promover a inclusão social  e a participação dos cidadãos na vida da cidade.”

Miguel Silva Gouveia conclui que “a Câmara Municipal do Funchal vai continuar a assumir os seus compromissos, aprofundando o elo de ligação e o diálogo com todas as entidades destas áreas que desenvolvem a sua atividade na cidade, para que, juntos, possamos melhorar a capacidade de resposta e a intervenção social. Os funchalenses podem contar sempre com a postura séria deste Executivo e com uma política de grande proximidade, com vista à melhoria da qualidade de vida da nossa população.”

A Câmara Municipal do Funchal, através do seu programa de apoios financeiros ao associativismo cultural e a atividades cultural de interesse municipal, atribuiu ao Grupo de Teatro Feiticeiro do Norte um apoio para o ano de 2021 no valor de 40 mil euros. Este apoio surge no sentido de apoiar a estrutura profissional do grupo ao longo do ano.

Miguel Silva Gouveia realçou que “a política cultural da Autarquia tem sido pautada pela valorização dos artistas regionais e do seu trabalho. Na Câmara do Funchal, interpretamos a cultura como um bem de primeira necessidade e um fator de desenvolvimento local. Como tal, sentimos que é nossa responsabilidade apoiar e promover os agentes culturais, nomeadamente aqueles que dependem destes apoios para poderem subsistir a nível profissional.”

“Em 2016 celebramos um acordo de comodato para que o Feiticeiro do Norte viesse a instalar a sua sede no Balcão de Cristal, um espaço intimista no coração da Zona Velha do Funchal, que tem vindo a contribuir para a dinâmica cultural e para a dinâmica da cidade. Esta foi mais uma forma de reconhecer a qualidade artística e a relevância do projeto Feiticeiro do Norte, que se tem evidenciado pela originalidade, inovação e excelência”, lembrou o autarca.

O Presidente conclui que “ao longo do último ano, e apesar de todas as condicionantes da crise pandémica, a Cultura no Funchal nunca parou. Vamos continuar a fazer o nosso melhor com as circunstâncias que temos, respondendo presente aos desafios  e, acima de tudo, estando ao lado dos profissionais do setor cultural da Região, ajudando a ultrapassar as dificuldades e na defesa do direito à cultura que tanto contribui para o enriquecimento da nossa comunidade.”