O Presidente da Câmara Municipal do Funchal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, acompanhado pela Vereadora que tutela o pelouro da Cultura na Autarquia, Madalena Nunes, visitou esta manhã, a ANSA – Associação Notas e Sinfonias Atlânticas, onde foi recebido pela Presidente da Direção Vanda Correia de Jesus e pelo Diretor Artístico Norberto Gomes.

Esta foi mais uma visita no âmbito da iniciativa “O Funchal Que Nos Une”, as Presidências Abertas da Câmara Municipal do Funchal, que regressaram este mês de julho, depois da pausa forçada devido à pandemia de Covid-19. Miguel Silva Gouveia ficou a conhecer o trabalho que é feito pela Associação, que tem como grande missão gerir a prestigiada Orquestra Clássica da Madeira, e aproveitou a reunião informal para expor, igualmente, o propósito desta iniciativa levada a cabo pelo Executivo Municipal junto da população, clubes e associações de cada freguesia.

O Presidente procurou ainda, durante a visita, perceber a realidade e as necessidades atuais da Associação, “o mundo atravessa uma altura muito conturbada e o meio artístico tem passado por momentos difíceis com o cancelamento das atividades culturais. Apesar de os espetáculos musicais estarem a regressar, é um regresso que se faz lento, e o que procuramos é, através do diálogo e dentro dos recursos que dispomos, oportunidades de melhoria e possíveis parcerias futuras”. No ano transato a Autarquia funchalense atribuiu 1500€ à ANSA para apoio à atividade.

A ANSA – Associação Notas e Sinfonias Atlânticas foi constituída a 27 de maio de 2013. Trata-se de uma instituição provada, sem fins lucrativos e de Utilidade Pública, destinada a gerir e dinamizar a Orquestra Clássica da Madeira  (OCM), e as duas Orquestras de Cordas (Ensemble XII e Camerata) e os seus eus oito agrupamentos de música de câmara, designadamente: Quinteto de Sopros Atlântida, Madeira Brass4, Madeira Brass5, Madeira Brass7, Quinteto de Sopros “Solistas da OCM”, Quarteto de Cordas do Atlântico, Ensemble de Sopros – Octeto e Percussão F.B.I. Funchal Beat Investigation.

“O Funchal Que Nos Une”, as Presidências Abertas da Câmara Municipal do Funchal, passaram hoje pela Associação Cultural e Recreativa dos Africanos na Madeira (ACRAM). O Presidente Miguel Silva Gouveia, acompanhado pelo respetivo Executivo, foram recebidos pelo Presidente, Augusto Mané e fizeram uma visita às instalações sediadas no Bairro da Nazaré.

Miguel Silva Gouveia começou por explicar o propósito desta iniciativa, interrompida pela crise de saúde pública e que foi agora retomada na freguesia de São Martinho, “só com proximidade e auscultando as populações e as entidades que representam as comunidades, é que conseguimos construir uma cidade mais sólida e mais solidária. Estas são visitas onde, para além da hospitalidade, temos encontrado uma enorme vontade de todos em contribuir para o desenvolvimento social, cultural e desportivo do Funchal”.

A ACRAM é uma organização sem fins lucrativos que tem por objetivo preservar e divulgar a cultura africana na Região Autónoma da Madeira e promover a integração dos imigrantes africanos na sociedade madeirense. Realizam inúmeras atividades que visam a promoção do diálogo intercultural, a sensibilização para a multiculturalidade e a divulgação da cultura africana, com toda a sua musicalidade, ritmos, gastronomia e artesanato.

O Autarca referiu que a CMF procura conhecer no terreno todas as entidades que desenvolvem políticas e iniciativas de interesse municipal, “estamos aqui para ver o trabalho desenvolvido numa área de intervenção social tão importante, que luta pelos direitos das minorias étnicas e pela defesa da identidade cultural. Queremos perceber igualmente de que forma é que a Câmara Municipal pode colaborar com a ACRAM, neste caso através do nosso programa de apoio ao associativismo, que todos os anos atribui financiamento a associações e entidades que desenvolvam atividades que ajudem a comunidade e a nossa cidade a crescer”.

O Presidente terminou salientando que “todos nós queremos ter um Funchal verdadeiramente unido, e o que estamos a demonstrar e temos também recebido nestas visitas por parte das entidades, é que o Funchal é muito maior que um orçamento chumbado. Fica a certeza de que o Funchal vai continuar com aqueles que tiverem à altura da responsabilidade, com aqueles que se unem em torno da cidade, com estratégias e soluções que sejam verdadeiramente estruturantes e inclusivas”.

As Presidências Abertas da Câmara Municipal do Funchal sob o mote “O Funchal Que Nos Une”, regressaram esta semana ao terreno, depois da paragem causada pela crise pandémica, e passaram hoje pela Casa do Povo de São Martinho. O Executivo camarário liderado por Miguel Silva Gouveia, foi recebido pelo Presidente da Direção, Agostinho Patrício, e teve a oportunidade de visitar as instalações onde funcionam o Grupo Folclórico local e o Centro de Dia, e conviver com alguns munícipes.

O Presidente Miguel Silva Gouveia aferiu o conjunto de atividades levadas a cabo pela Casa do Povo de São Martinho e enalteceu os méritos do trabalho realizado junto da comunidade local, que tem uma base humana bastante importante, principalmente no apoio às famílias mais carenciadas.

A Autarquia possui um protocolo de cooperação com a Casa do Povo de São Martinho para o ano de 2020, no valor de 3400€, que visa apoiar as diversas iniciativas disponibilizadas no Plano de Atividades para o corrente ano. A Casa do Povo promove o desenvolvimento sociocultural, recreativo, educativo, formativo e desportivo, contribuindo para o progresso e bem-estar dos cidadãos e da freguesia.

“O Funchal que Nos Une” prossegue na próxima semana com as visitas à Freguesia de São Martinho.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, acompanhado pelo Vereador Rúben Abreu, visitou, na tarde de hoje, a Associação Artística de Solidariedade Social – OLHO.te, neste que foi o regresso ao terreno da iniciativa camarária “O Funchal Que Nos Une”, depois da pausa forçada causada pela pandemia de Covid-19.

Na Nazaré, Miguel Silva Gouveia foi recebido por Hugo Castro Andrade, Presidente da OLHO.te, e destacou o trabalho de proximidade que a Associação tem realizado ao longo dos anos com a população do bairro, um envolvimento que segundo o Presidente “em muito tem contribuído para melhorar a qualidade de vida, promover a inclusão social  e a participação dos cidadãos na vida da cidade”.

O edil funchalense ofereceu uma moldura com o voto de louvor que a CMF atribuiu recentemente à OLHO.te, e elogiou, de forma especial, todo o trabalho realizado durante a crise sanitária, “foi para nós motivo de muito orgulho saber que no período de quarentena esta Associação não abandonou a sua comunidade e realizou diversas iniciativas para apoiar aqueles que mais necessitavam. Apesar das circunstâncias, o trabalho solidário e em prol da comunidade foi garantido, confirmando, se dúvidas houvessem, que no Funchal não deixamos ninguém para trás”.

A Associação OLHO.te foi apoiada em 2019 pela Câmara Municipal do Funchal com cerca de 23 mil euros, através do programa de Atribuição de Apoios Financeiros ao Associativismo e Atividades de Interesse Municipal, e tem sido referenciada por diversas entidades nacionais e internacionais pela qualidade do seu trabalho, onde se destaca o reconhecimento da Fundação Calouste Gulbenkian através do programa PARTIS, Práticas Artísticas para a Inclusão Social, no projeto “L’Ego do Meu Bairro”.

As Presidências Abertas da Câmara Municipal do Funchal, sob o mote “O Funchal Que Nos une”, visitaram, no Centro Cívico de São Martinho, o Grupo Folclórico de Santa Rita, onde o Presidente, Miguel Silva Gouveia, acompanhado pelo respetivo Executivo municipal, foi recebido pelo Presidente da Direção, Rui Ferreira.

Na reunião informal foi possível ficar a conhecer o trabalho e a rotina deste grupo, fundado a 10 de novembro de 2000, e que atualmente é composto por cerca de 40 elementos. A Câmara Municipal do Funchal apoia o Grupo Folclórico de Santa Rita com cerca de 3 mil euros anuais, através da atribuição de financiamento a instituições que desenvolvem atividades de interesse municipal, verba que  serviu de ajuda para adquirir trajes, viagens e apoio a intercâmbios.

Grupo Folclórico de Santa Rita tem por objetivo promover o nosso folclore de modo a preservar e enaltecer o património histórico-cultural da Ilha da Madeira e da Cidade do Funchal, estimulando também o intercâmbio com outros grupos nacionais e estrangeiros, que permitem levar o nome da cidade e da região aos vários cantos do país e estrangeiro. Na sua programação regular costuma atuar à quinta-feira em hotéis, e aos domingos em restaurantes.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, acompanhado pelo Vereador João Pedro Vieira, que tutela o pelouro do Desporto, visitaram, no âmbito da iniciativa “O Funchal Que Nos Une”, as Presidências Abertas da Câmara Municipal do Funchal, a sede da Associação de Voleibol da Madeira, onde foram recebidos pelo Presidente da Direção Edgar Garrido Gouveia.

Miguel Silva Gouveia foi guiado a uma visita pelas instalações e enalteceu as excelentes condições da sede, tendo ainda a oportunidade de conversar com uma aluna que frequenta o curso de desporto, e que encontra-se na Associação a realizar o seu estágio curricular. Seguiu-se depois uma reunião informal onde ambos os Presidentes falaram sobre a situação do Voleibol regional, e também sobre as obras realizadas pela CMF na pavimentação e cobertura dos polidesportivos das escolas de domínio municipal, e que têm beneficiado os treinos e jogos desta modalidade ali praticados.

Edgar Gouveia, por sua vez, agradeceu a visita e o apoio da Câmara Municipal do Funchal, salientando a parceria na realização do Torneio de Voleibol da Cidade do Funchal, conjuntamente com o Clube Escola da Levada, que vai para a sua 4ª edição, e que em 2019 contou com a presença de clubes regionais, 13 clubes continentais, realizando cerca de 450 jogos, que envolveram mais de 1000 atletas.

O Presidente considerou, por fim, que esta é uma parceria de sucesso, e que dentro das possibilidades, a Autarquia está sempre pronta para ajudar no desenvolvimento da modalidade, salientando que a Associação de Voleibol da Madeira, pode “contar com apoio e colaboração da Câmara Municipal do Funchal, para a edição do seu livro”.

A Associação de Voleibol da Madeira, segundo os últimos dados oficiais, tem cerca de 1400 atletas federados, 42 treinadores, 38 árbitros e 13 clubes em atividade, distribuídos por diversos concelhos. Além disto possui 37 núcleos de Gira-Volei, um projeto de iniciação à modalidade, e parceria com várias escolas básicas.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, e o respetivo Executivo Camarário, foram visitar, no âmbito da iniciativa “O Funchal Que Nos Une”, as Presidências Abertas da Câmara Municipal do Funchal, a AAM – Associação de Andebol da Madeira, onde foram recebidos pelo Presidente da Direção, Emanuel Alves, e pelo Presidente-adjunto, Bernardo Vasconcelos.

Miguel Silva Gouveia, explicou, durante a reunião informal, os objetivos que orientam estas visitas do Executivo Municipal, nomeadamente a vontade de ir conhecer as entidades que a Autarquia financia diretamente, ou através de apoio logístico, aproveitando a oportunidade para exprimir que “o Funchal carece de um espaço de referência para fazer eventos desportivos, seja em que modalidade for, e também culturais, um pavilhão onde se possa acolher e dar melhor qualidade aos nossos atletas, instituições e clubes, e realizar, igualmente, diversas competições de cariz nacional e internacional”.

Por sua vez, Emanuel Alves mostrou-se bastante satisfeito com a visita do Executivo, agradecendo por “visitarem a Associação de Andebol da Madeira, pela preocupação, e pelo vosso apoio que é para nós muito importante”. Seguiu-se depois uma visita às instalações, um espaço onde funciona a sede e que é propriedade de própria AAM. A visita terminou com a visualização de uma apresentação sobre o Andebol na Madeira, com o balanço das atividades realizadas na época passada, informações sobre os atletas efetivos, e clubes filiados, onde foi possível verificar que a esmagadora maioria dos clubes pertence ao Município do Funchal.

A iniciativa “O Funchal Que Nos Une”, as Presidências Abertas da Câmara Municipal do Funchal, estiveram na Junta de Freguesia de São Martinho, onde reuniram com Executivo da Junta, liderado pelo Presidente, Duarte Caldeira Ferreira, para, como tem sido habitual em cada freguesia, abordar o trabalho realizado ao longo do mandato, bem como apurar aquelas que são as principais necessidades de São Martinho para o futuro próximo.

Miguel Silva Gouveia, acompanhado pelo respetivo Executivo camarário, aproveitou a ocasião para fazer um balanço positivo daquela que tem sido a governação da freguesia, e a parceria com a Câmara Municipal do Funchal, destacando que “é notório o trabalho que têm realizado, e o prémio de Município do Ano que o Funchal recebeu, muito se deve às politicas de acessibilidade aplicadas em São Martinho, que tem conseguido, com muito mérito, criar novas centralidades, e desenvolver atividades importantes que contribuem para a dinamização e desenvolvimento da freguesia, e consequentemente do Funchal”.

Na reunião foram ainda abordadas uma série de questões bastante pertinentes sobre o futuro da freguesia, com as intervenções a lançar ao longo do corrente ano, e também o programa de visitas ao terreno para este mês de março, que para além das visitas diretas a entidades que desenvolvam atividades de interesse municipal, a iniciativa passará, paralelamente, pelos locais e obras realizadas através do Acordo de Execução, que a Autarquia mantém com a Junta de Freguesia de São Martinho.

As Presidências Abertas da Câmara Municipal do Funchal, sob o mote “O Funchal Que Nos Une”, iniciaram o seu terceiro mês de visitas às freguesias do concelho, que este mês de março será dedicado à freguesia de São Martinho. O Presidente da Câmara Municipal, Miguel Silva Gouveia, acompanhado do respetivo Executivo, foram conhecer, a Associação Cultural Desportiva Recreativa São Martinho, onde foram recebidos pelo Presidente da Direção Marco Teixeira.

Miguel Silva Gouveia aproveitou a oportunidade para falar sobre o propósito desta iniciativa de proximidade que a Autarquia está a levar a cabo em todas as freguesias do concelho ao longo do ano, e ficou também a conhecer a realidade desta Associação que tem cerca de 150 associados, e procura promover, preservar e transmitir a sabedoria popular, cultural e recreativa da Freguesia de São Martinho. O Presidente referiu que “em São Martinho apoiamos cerca de 30 associações e instituições, esta é a primeira que visitamos, até ao fim do mês contamos visitar as restantes, e procurar perceber as suas realidades, e onde, dentro das nossas possibilidades, podemos voltar a intervir, e melhorar o trabalho do dia-a-dia destas entidades, que desenvolvem atividades que são de interesse municipal”.

A Associação Cultural Desportiva Recreativa São Martinho, desenvolve diversas atividades culturais e lúdico-desportivas, onde se destaca dois prémios de Campeões Regionais de Clubes, na modalidade de Bridge. Para além desta vertente, contribuem ainda para o projeto social “AconXego – Naninhas do Bem”, que todos os meses entrega cerca de 50 naninhas às crianças internadas no Serviço de Pediatria do Hospital do Funchal.

“O Funchal Que Nos Une”, as Presidências Abertas da Câmara Municipal do Funchal, passaram pelo Centro Cultural e Desportivo Luís de Camões, nesta que foi a última visita desta iniciativa na freguesia de São Pedro. O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, acompanhado pela Vice-Presidente, Idalina Perestrelo, foram recebidos pela Diretora da Associação, Rubina Barros.

O Executivo Camarário foi conhecer, desta forma, a realidade desta instituição de cariz social, instalada no Bairro do Hospital, tendo a responsável pelo Centro, dado a conhecer a Miguel Silva Gouveia as atividades ali desenvolvidas, bem como levou o autarca conhecer outros espaços, onde funcionam a Loja Social, a Mercearia, e também o Centro de Convívio de São Pedro, onde foi recebido pelos muitos munícipes que usufruem das instalações, e dos seus importantes serviços e ajuda.

Através do programa de Apoios Financeiros ao Associativismo e Atividades de Interesse Municipal, a CMF apoia o Centro Luís de Camões com uma verba que serve de apoio à atividade, contribuindo assim para os números de 2019, em que a instituição ajudou cerca de 151 famílias. Miguel Silva Gouveia referiu que “é notório o impacto do trabalho realizado pelo Centro Luís de Camões, não só na freguesia onde está sediado, mas em todo o concelho, e consequentemente, a boa aplicação do apoio financeiro da autarquia, e é este o percurso que queremos continuar a fazer com as pessoas, e com as instituições, trabalhar em nome da cidade que nos une, em nome do Funchal”.