As Presidências Abertas da Câmara Municipal do Funchal, sob o mote “O Funchal que nos Une”, passaram, esta manhã, pelo Colégio de Santa Teresinha, na Freguesia de Santa Luzia, onde também decorreu a Reunião de Câmara semanal da Autarquia. O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, explicou que “pela primeira vez neste mandato, decidimos descentralizar uma reunião de câmara, onde tivemos a preocupação e o cuidado de envolver a comunidade educativa”.

A anteceder os trabalhos da reunião, o Presidente e o restante Executivo camarário tiveram oportunidade de visitar algumas salas de aula deste estabelecimento de ensino, nomeadamente salas do 4º e 9º ano de escolaridade, onde os alunos puderam colocar questões e intervir com os Autarcas. Miguel Silva Gouveia enalteceu que o Funchal enquanto Cidade Educadora e uma Cidade Amiga das Crianças, “procura a proximidade e procura a intervenção de todos os seus munícipes, incluindo, obviamente, toda a comunidade educativa, que são muito importantes na construção de uma cidade”.

O Presidente mostrou-se visivelmente satisfeito com as intervenções feitas pelos alunos, “foi interessante constatar que as crianças têm questões e colocam questões, constatei um público jovem muito atento”. As perguntas passaram por

por diversos temas do dia-a-dia da cidade, como é o caso das questões sociais, com a situação dos sem-abrigo, e também a sustentabilidade ambiental.

Relativamente à ordem de trabalhos da Reunião de Câmara, Miguel Silva Gouveia, disse que “foi aprovado por unanimidade o projeto da nova Rede Clicável, que terá uma extensão de 2,5km, entre a zona do Fórum Madeira e a Praça do Turista. Será o prolongamento da ciclovia já existente, que possui dois troços, criando um novo circuito pedonal com 1,20m de largura por toda a extensão da Estrada Monumental”.

O projeto tem um valor base de 1,3 milhões de euros, com financiamento de 917 mil euros por parte do Programa Madeira 14-20, “o projeto irá agora para concurso público internacional, porque o montante assim o exige, e esperamos ainda neste primeiro semestre que chegue ao terreno, oferecendo assim aos funchalenses e a quem nos visita outras práticas de mobilidade e hábitos de vida saudável”, concluiu.