A Vice-Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Idalina Perestrelo, anunciou hoje, após a Reunião de Câmara semanal, que decorreu na Associação “Monte de Amigos”, no âmbito da iniciativa “O Funchal Que Nos Une”, o avanço do processo de empréstimo bancário de 5 milhões de euros, após a receção de propostas por parte da banca comercial. Esta é mais uma etapa do empréstimo solicitado pela Autarquia e que visa apoiar as famílias, associações e os empresários do Funchal, a fazer face às dificuldades provocadas pela pandemia de Covid-19.

Idalina Perestrelo explicou que “este é mais um passo dado no empréstimo de 5 milhões de euros que solicitamos para fazer face as consequências da crise pandémica. O nosso Executivo camarário procura desta forma preventiva responder aos novos desafios que a Covid-19 veio trazer e assegurar o investimento deste dinheiro nas famílias e na economia, sabendo que a curto e longo prazo as condições socioeconómicas das famílias e comerciantes vão continuar a sentir os feitos da crise que nos afeta neste momento”.

Na reunião foi também aprovado o 2º Plano Municipal para a Igualdade, um projeto tem vindo a ser trabalhado ao longos dos últimos pela Câmara Municipal do Funchal e que permitiu “tomar diversas medidas e realizar ações que visam trazer o assunto da igualdade para a opinião pública e combater, obviamente, as desigualdades e a discriminação com base no género. Neste sentido, estamos neste momento a promover a Semana da Igualdade, com vista a apresentar e promover as questões da igualdade no concelho e que termina no próximo sábado com o Dia Municipal para a Igualdade e com a entrega do Prémio Municipal Maria Aurora”.

A Vice-Presidente destacou, por fim, o início das obras de prolongamento da ciclovia do Funchal, na Estrada Monumental, “esta obra custou cerca de 1,2 milhões de euros e para além da melhoria das condições para a prática de bicicleta, irá trazer ao Funchal menos congestionamentos, requalificação das áreas pedonais, onde se destaca o alargamento e nivelamento de passeios, a instalação de pavimentos tácteis para portadores de deficiência visual, a sobrelevação de passadeiras e a melhoria nas condições de acesso às paragens de autocarros, de forma a reforçar as condições de segurança rodoviária”.